• Imprimir

De 23 a 27 de Outubro, acontece em Cardiff, no País de Gales, a WOMEX (World Music Expo).

Diferente de feiras internacionais como o NAMM (EUA) ou Musik Messe (Alemanha), que são focadas em produtos e equipamentos da indústria de música, a Womex é direcionada aos negócios da música, promovendo um grande encontro entre toda a cadeia de agentes do music business do mundo inteiro.

Como músico, vejo essa feira como uma oportunidade de internacionalização do meu trabalho artístico. Um passo importante pra quem pretende realizar turnês e distribuir sua música fora do Brasil. Aqui se encontra a nata desse ecossistema: são agentes de shows, festivais, selos, distribuidoras, conferências, eventos de network, showcases, jornalistas e artistas do mundo inteiro.

Traduzindo em números, na edição do ano passado foram 3.300 empresas, 6.950 representantes, 184 startups, 338 jornalistas de mais 75 países.

A preparação consiste em reunir um bom portfólio com todo o seu material, de releases à clipagem, de fotos e vídeos ao disco. No meu caso, é uma ação de promoção do álbum Efecto Vertigo, lançado em Abril deste ano, que é um projeto solo instrumental dedicado a ritmos latinos. A partir daí, a ideia é apresentar esse material, conhecer novas plataformas de difusão para essa música e formar novas conexões de negócios.

No Brasil, existem feiras de negócios que acontecem todos os anos, a exemplo da Feira da Música (Ceará) e Feira Música Brasil (que acontece em diferentes cidades a cada edição).

Se você é músico e pretende dar um upgrade na carreira, essa é uma ótima oportunidade de conhecer os agentes dessa cadeia da qual fazemos parte, e porque não, dar início a uma trajetória de sucesso?